ExtraLibris: Compondo Exposições Conectadas

Pesquisador em humanidades pós-digitais. Desenvolvi uma metodologia e plataforma em socioexpografia para a ExtraLibris.

Na área corporativa atuei como Consultor em Aprendizagem Organizacional, Gestão do Conhecimento, Sistemas de Gestão da Inovação, Projetos de Desenvolvimento de Software, Desenvolvimento de Portais Corporativos e Marketing Digital.

Na área social atuei como gestor educacional e designer instrucional. Responsável pelo desenvolvimento de cursos de atualização profissional. Dando origem a plataforma de educação à distância da ExtraLibris. Certificando estudantes e profissionais para lidar com os desafios de atuação na era digital.

Na área acadêmica atuei como Professor substituto no Departamento de Ciência da Informação na UFSC, ministrando as disciplinas de Gestão da Qualidade em Unidades de Informação, Estudo de Usuários e de Comunidades, Metodologia da Pesquisa Bibliográfica, Ética Profissional, Estudo de Usuários da Informação, Referência, Gestão da Informação e Arquivos, Introdução a Ciência da Informação, Recuperação da Informação e Sistemas de Organização do Conhecimento, para sete cursos de graduação distintos na universidade federal.

Especialista em Design Instrucional pelo Programa de Pós-Graduação lato sensu do SENAC-SP.

Especialista em Marketing Digital pelo programa de Nanodegree da Udacity.

Mestre em Ciência a Informação pela Universidade Federal Fluminense - PPGCI UFF, com a dissertação “Ciência Aberta – Ações de Pesquisadores Acadêmicos na Web Aberta“. Em que busca analisar as ações de pesquisadores acadêmicos na web aberta. Para tanto faz uma revisão de literatura de problemas norteadores da pesquisa como o conceito de abertura (openness), a consumerização da tecnologia da informação, e as correntes de pensamento da ciência aberta. Faz uma introdução de questões relacionadas a produção do conhecimento na academia, como a dos pesquisadores e o ethos da ciência, as tradições de pesquisa acadêmicas e o ciclo de vida da pesquisa acadêmica. Para a criação da metodologia para análise das ações dos pesquisadores, a gestão do conhecimento é vista como uma disciplina que prove a definição de critérios para a utilização de tecnologias emergentes para a colaboração e a pirâmide do engajamento para identificar as ações possíveis na web. A partir da fundamentação teórica, desenvolve uma metodologia para avaliação das ações de engajamento acadêmico através da análise de sites de pesquisadores e da colaboração através do envio de um questionário. Em suas conclusões identificou a diversidade de ações dos acadêmicos em relação às formas de engajamento e adoção das tecnologias digitais, em consonância com a emergência de iniciativas relacionadas a própria ciência aberta. Além de sugerir direções para novas pesquisas em ciência da informação relacionadas ao tema.