Democratizando a socioexpografia

Fabiano de Sousa Caruso

Florianópolis - Santa Catarina

Consultoria em projetos de educação corporativa e inovação tecnológica e gestão do conhecimento de empresas de diferentes portes e segmentos. Experiência em todos os processos de gestão de projetos educacionais, responsável pela qualidade das entregas e coordenando equipes. Desenvolvi uma  metodologia em gestão colaborativa, para definir e priorizar o backlog de produtos (cursos de educação à distância) e projetos de reestruturação de planos de educação corporativa. Professor universitário e pesquisa, propondo prospecção tecnológica para apoio ao desenvolvimento de novos produtos e serviços. Atuação com liderança e formação de comunidades digitais para educação continuada.

Trajetória Profissional

EXTRALIBRIS: ALÉM DOS LIVROS

Gestor educacional e designer de produtos - Desde janeiro de 2003.

Um projeto de rede colaborativa digital, desenvolvendo projetos de educação continuada para estudantes e profissionais do campo da ciência da informação, oferecendo cursos para certificação profissional. Durantes os últimos anos de pesquisa, desenvolvi um conceito de socioexpografia, desenvolvendo uma plataforma exclusiva. Uma tecnologia para internet das coisas orientada a organização de histórias e coleções para criação de exposições a partir de ambientes conectados.

FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA

Consultor sênior - De março de 2017 a dezembro de 2018

Atuei em um projeto de pesquisa aplicada para o desenvolvimento de uma nova metodologia para organização de acervos culturais. Adotando abordagens para integração de objetos locais a interfaces digitais, derivando uma plataforma e metodologia em socioexpografia para a marca ExtraLibris.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Professor substituto - Ciência da Informação - De abril de 2015 a fevereiro de 2017

Responsável pelas disciplinas de gestão da qualidade, estudo de usuários e de comunidades, metodologia da pesquisa, ética profissional, serviços de pesquisa e referência, gestão da informação e arquivos, introdução a ciência da informação, recuperação da informação e sistemas de organização do conhecimento, para sete cursos de graduação. Responsável por um total de quatorze turmas em 2 anos.

TERRAFORUM CONSULTORIA

Consultor sênior em gestão do conhecimento – De abril de 2011 a junho 2012

Consultor em projetos de desenvolvimento de software, desenvolvimento de portais corporativos, análise de redes sociais, aprendizagem organizacional, gestão do conhecimento e sistemas de gestão da inovação.

TIM: Definição de um modelo estratégico para a formação de comunidades para aprendizagem e implementação de uma rede social corporativa.

LIGHT: Mapeamento dos processos da diretoria de planejamento da Light e definição de uma proposta de transferência do conhecimento em apoio aos projetos de subestações de energia elétrica.

PETROBRAS: Atuando na fase de diagnóstico do modelo de governança da Universidade Petrobras, para apoio ao desenvolvimento uma proposta de integração de várias escolas a partir do uso de novas tecnologias educacionais.

SAMARCO: Análise de mídias sociais. Identificação potenciais cenários de risco da mineradora, a partir do monitoramento de agentes da sociedade civil mobilizando-se em vários canais digitais.

FIRJAN: Apoio ao desenvolvimento de um projeto de criação de um portal de .

INMETRO

Gestor na incubadora de projetos – De novembro de 2008 a junho de 2010 .

Responsável pelo Núcleo de Informação da Incubadora de Projetos do Inmetro. Desenvolvi uma estratégia para implementação um modelo de Rede Colaborativa para apoiar os processos intraorganizacionais e interorganizacionais. Atuei liderando a equipe de profissionais responsável pela infraestrutura e implementação de sistemas de informação colaborativos para apoio ao Time Gestor, Empresas Incubadas e Parceiros do projeto.

Arquiteto da informação – De setembro de 2007 a novembro de 2008

Responsável pelo projeto de arquitetura de informação para projetos internos do Inmetro e definição de requisitos funcionais para monitoramento e recuperação das informações nas bases de dados de produtos e serviços oferecidos pela instituição. Apoio ao programa de gestão do conhecimento do Inmetro, coordenando a implementação e treinamento no uso de sistemas de informação colaborativos para apoio a Gestão da Coordenação de Inovação Tecnológica e ao desenvolvimento do relatório do Prêmio Nacional de Qualidade - PQGF.

FUNDAÇÃO CERTI

Gestor do Setor de Informação – de fevereiro de 2006 a agosto de 2007

Responsável pelo gerenciamento da rede de bibliotecas e centros de documentação da instituição. Desenvolvendo um conceito de biblioteca aberta, utilizando blogs, wikis e sistemas colaborativos para apoio aos serviços de informação e documentação. Membro da comissão interna para o desenvolvimento de plataformas de comunicação interna, integrando tecnologias emergentes como suporte a comunidades de pesquisa e desenvolvimento de projetos.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Bolsa de iniciação científica – Informação em engenharia mecânica – 2005.

Estagiário - Setor de informação na Fundação Certi - 2004 - 2006.

Projeto de extensão – Revitalização de bibliotecas escolares  – 2004.

Bolsista – Laboratório de gestão de tecnologia e informação – 2003.

Bolsista – Laboratório de gestão de tecnologias educacionais – 2002.

UNIBANCO

Assistente de atendimento bancário - 2001

TELEFÔNICA CELULAR

Assistente de treinamento na diretoria de recursos humanos - 1998-2000

Membro da equipe responsável pelo produção de recursos de capacitação para o programa de formação de agentes credenciados para habilitação de telefones celulares no processo de ampliação da rede de telefonia celular no país.

Formação acadêmica

MESTRE EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

UFF - Universidade Federal Fluminense - 2013-2015

Ciência Aberta: ações de pesquisadores acadêmicos na web aberta

Busca analisar as ações de pesquisadores acadêmicos na web aberta. Para tanto faz uma  revisão de literatura de problemas norteadores da pesquisa como o conceito de abertura  (openness), a consumerização da tecnologia da informação, e as correntes de pensamento da  ciência aberta. Faz uma introdução de questões relacionadas a produção do conhecimento na  academia, como a dos pesquisadores e o ethos da ciência, as tradições de pesquisa acadêmicas  e o ciclo de vida da pesquisa acadêmica. Para a criação da metodologia para análise das ações dos pesquisadores, a gestão do conhecimento é vista como uma disciplina que provê a definição de critérios para a utilização de tecnologias emergentes para a colaboração e a  pirâmide do engajamento para identificar as ações possíveis na web. A partir da  fundamentação teórica, desenvolve uma metodologia para avaliação das ações de  engajamento acadêmico através da análise de sites de pesquisadores e da colaboração através  do envio de um questionário. Em suas conclusões identificou a diversidade de ações dos  acadêmicos em relação às formas de engajamento e adoção das tecnologias digitais, em  consonância com a emergência de iniciativas relacionadas a própria ciência aberta. Além de sugerir direções para novas pesquisas em ciência da informação relacionadas ao tema.

BACHAREL EM BIBLIOTECONOMIA

UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina - SC – 2002-2006

CULTURA INGLESA

Inglês intermediário - excelente nível de leitura técnica e conversação.